Comer, Rezar, Amar

19.11.12

Vi estes dias o filme Eat, Pray, Love. Já estava para o ver há muito mas só quando arranjei o livro é que senti o impulso de ver o filme. Fiquei abalada, mas positivamente.

A história de Elizabeth Gilbert não só conta uma "história", por sinal verídica e autobiográfica da escritora, como mexe com o modo de sentir e pensar diversos aspetos. É uma filosofia de vida.

O tema da história está bastante atual dada a sociedade que estamos a viver. Os divórcios ou a opção de continuar junto de modo infeliz só para não sofrerem com a separação, a busca por algo mais, a falta de realização. Ainda na semana passada conversei com algumas pessoas (sim, no plural) que não conseguem pagar os estudos nem arranjar emprego e estão preparando-se para emigrar, apesar das dúvidas em arriscar e buscar algo melhor.

Eu identifiquei-me em muito com esta história. Uma das semelhanças foi a minha saída da cidade onde nasci e cresci para um lugar que não conhecia... é precisa imensa determinação e coragem para ir assim...para o além! E ainda bastante força de vontade depois que já nos mudamos.

A abordagem à questão das relações também está demais. O medo de viver cega-nos muitas vezes. E independentemente da religião que cada um tenha, a história é extremamente real no modo de sentir/procurar a Deus e no modo como às vezes pode ser demais ou de menos...

Conforme ia vendo o filme fui marcando diversas frases que me marcaram, apesar que já descobri que existem muitos sites com essas citações:

“... você precisa aprender a escolher seus pensamentos do mesmo jeito que escolhe as roupas que vai usar a cada dia. Isso é uma capacidade que você pode aprimorar. Se você quiser tanto assim controlar as coisas da sua vida, trabalhe a mente. Ela é a única coisa que você deveria estar tentando controlar. Largue todo o resto, menos isso. Porque, se você não conseguir dominar seu pensamento, vai ter muitos problemas para sempre.” 

"Às vezes, perder o equilíbrio por amor, faz parte de viver a vida em equilíbrio."

"O importante e' viver e ser feliz mesmo que isso signifique deixar tudo pra trás e recomeçar,pois na vida e no amor as conquistas são feitas todos os dias."

"Melhor viver o seu próprio destino de forma imperfeita do que viver a imitação da vida de outra pessoa com perfeição. Então agora comecei a viver a minha própria vida. Por mais imperfeita e atabalhoada que ela possa parecer, ela combina comigo, de alto a abaixo.”

“Imagine que o universo é uma imensa máquina giratória. Você quer ficar perto do centro da máquina – bem no eixo da roda-, e não nas extremidades, onde os giros são mais violentos, onde você pode se assustar e enlouquecer. O eixo da calma fica no seu coração. É aí que Deus reside dentro de você. Então, pare de procurar respostas no mundo. Simplesmente retorne sempre ao centro, e sempre vai encontrar a paz.”


Existem mais citações, podem ler clicando aqui. Mas estas para mim foram as mais emblemáticas. Estava pensando em colocá-las num projecto que a própria autora Elizabeth Gilbert criou, de nome Jarra da Felicidade, e que o blog a minha confusão descreveu neste post.

Gostei muito da prestação da Julia Roberts, como sempre. Aconselho o filme!

You Might Also Like

2 comments

  1. :) obrigado pela referencia. o filme ´e realmente fenomenal, um dos meus favoritos de sempre. eu adorei :)
    ***

    ResponderEliminar
  2. :) Estou aguardando um post novo teu!

    ResponderEliminar