Tempo Bem Gasto (1ªparte)

4.2.14

O livro Time Well Spent: Gain Control of Your Schedule and Live the Life You Want to Live de Mike Burns esteve grátis no mês passado. Entre leituras e pequenos debates resolvi fazer um resumo objetivo do livro em português, dividido por alguns posts. Alguns conteúdos são interessantes, outros levantam debate. Achei interessante partilhar convosco, sobretudo com quem tem dificuldade em ler livros/ebooks em inglês.


Sobre o autor...


Mike Burns tem vindo a estudar gestão do tempo e da vida ao longo dos últimos 15 anos, tendo ainda trabalhado como consultor de produtividade e realizado diversos workshops.
Ele partilha neste seu livro como era uma pessoa sobrecarregada até ao ponto em que sente que não podia mais ser escravo do seu ambiente. "A minha intenção era boa. O meu coração estava no lugar certo. Mas a minha vida era um redemoinho de vento. Eu não conseguia recuperar o fôlego."

Acreditando que podia viver melhor passou os últimos 15 anos estudando como ele podia gerir melhor o seu tempo e focar-se no que seria realmente importante.
Neste momento, diz ele, sente que ainda não consegue controlar tudo, mas que está no caminho certo. E que através deste livro irá orientar alguns exercícios para viver uma vida melhor.


O livro está dividido em duas partes:


1ª Os conceitos - este capítulo é a base para a componente prática.
2ª As etapas - parte prática com base nos conceitos falados anteriormente.


Neste post abordarei os primeiros dois subcapítulos da primeira parte.


1º Conceitos


"(…) A parte difícil é decifrar exactamente o que estamos fazendo mal e decidir mudar o comportamento". 


O autor lista três opções de escolhas que fazemos que podem sabotar as nossas agendas e planos após uma análise honesta às nossas vidas e às nossas tendências pouco saudáveis.

1. Você pode estar fazendo MUITAS coisas.
Nós somos movidos pelas nossas paixões, tentando dar recado de tudo. Mas o nosso comportamento não significa que estamos vivendo a vida que queremos. Temos que ser determinados e lutar contra o "fazer MUITAS coisas", ou o "fazer coisas DEMAIS"

2. Você pode estar fazendo as coisas ERRADAS.
A agenda até pode nem estar muito preenchida... mas ganhar controlo do nosso tempo não é apenas decidir um número de actividades, mas sim fazer as coisas certas, sobretudo aquelas que vão ao encontro com os seus objetivos e valores.

3. Você pode estar fazendo NADA propositadamente
Talvez você perdeu alguma paixão ou as coisas deixaram de ter significado. O autor lamenta quando infelizmente se perde o rumo ou a esperança mas afirma que você não tem de permanecer desse jeito e depende de você mesmo tomar o controlo da situação para mudá-la e achar outras soluções/paixões.


Quando notícias ruins podem ser boas notícias...


O modo como fomos educados e as experiências que tivemos conduzem o nosso pensamento e acção. Deste modo duas pessoas podem pensar e agir diferente perante uma mesma situação. Isto pode jogar muito bem a nosso favor se as nossas pressuposições forem saudáveis e realistas.

1º Você não pode controlar o tempo
Apenas há 24h por dia, você não pode mudar isso... mas pode mudar a si mesmo, a sua agenda, as suas listas! Nós controlamos a nós mesmos quando decidimos onde ir, quando, o que fazer, o que usar... se vamos comer, correr, fazer exercício, ver televisão, usar as mãos, as pernas, o cérebro... A agenda e as listas também são controladas por nós quando temos de determinar o tempo dos nossos compromissos ou qual a lista de compras que precisamos comprar, quais as direções para o restaurante ou quais os compromissos desta semana.
Tudo isto são coisas palpáveis que nós podemos ajustar ou melhorar.

2º As coisas nem sempre correm como planeado
Não podemos prever ficar doente ou surgirem imprevistos. Mas isto pode ser um ponto positivo se você:
- não tem expectativas irreais
- não se sente frustado ao ponto de desistir porque acha que planear foi uma perda de tempo
- permitir uma margem
É necessário preparar, agir e ajustar.

3º Você não consegue controlar tudo.
O destino não está completamente nas nossas mãos. Nós não podemos controlar a meteorologia nem a reação de alguém em relação a algo que dissemos ou fizemos. Ainda assim desempenhamos um papel importante:
- quando não controlamos temos a responsabilidade de adaptar e ajustar as nossas expectativas e os nossos planos às circunstâncias
- quando controlamos temos a responsabilidade de escolher, e escolher bem!
Parece óbvio mas é algo que deve ser lembrado e que deve ser intencional pois em tudo pode ser usada a nossa influência. Por exemplo, eu posso não controlar a cultura do meu local de trabalho, mas eu posso construir confiança e respeito com os meus colegas e influenciar as suas decisões ou eu posso não controlar as leis que estão escritas, mas eu posso influenciar outras pessoas a votar em outro candidato que as pode mudar.
A boa notícia aqui é sabermos direcionar bem a nossa energia, ao invés de negligenciarmos as boas escolhas nas áreas ou intermediários que podemos controlar ou ficando apenas nos queixando nas coisas que não podemos controlar.



You Might Also Like

1 comments

  1. Oi Fátima, saudades! Gostei muito do resumo sobre o livro de Mike Burns. Sou uma pessoa que tem dificuldade em ler ebooks em inglês. Por isso gosto muito quando você compartilha as traduções. Obrigada mesmo. Gosto do tema também. Acredito que é preciso planear e buscar controlar o que está em nossas mãos. Lembrando que não estamos livres de imprevistos e que caso aconteça, não é necessário brigar com vida. Mas quem sabe fazer um novo plano, para quem sabe outro momento. Só assim viveremos da maneira que queremos, não é?
    Se quero viajar, preciso de dinheiro. Então preciso me controlar e poupar o suficiente para isso. Eu posso fazer isso, não é? Abraços.

    ResponderEliminar