Fechando portas e abrindo outras..

7.9.14

Vou partilhar convosco um pouquinho do meu mais recente ato minimalista.

Minha vida tem mudado muito desde que fui despedida junto com mais colegas e fiquei esperando que as autoridades fizessem algo pra eu ter direito aos direitos salariais e ao modelo para o fundo de desemprego (ainda nenhum chegou). Pondero a emigração mais do que nunca, o que me fez olhar para a minha casa com olhos de lince. Por mero acaso entre os meses de Julho e Agosto (justo essa época) li o livro "Desafio das 100 Coisas" que fala como um americano diminuiu todos os seus pertences a 100 objetos.

Comecei a ponderar, e se eu tivesse uma proposta hoje e emigrasse? Quantas coisas ainda tenho em casa que eu não sentiria falta de levar!

Algumas não queria nada abdicar, como os meus pianos. Mas se eu tivesse de ir para outro país não levaria os 2 grandes comigo como é obvio... um amplificador que me deram e eu nunca uso...

O mais curioso foi que no ano passado fiz um grande destralhe aos livros. Eu sempre sonhei em ter uma biblioteca, sobretudo de música. Por isso deixei só os livros técnicos de música e mais uns 2 ou 3 de literatura que adoro reler. Esta semana olhei para os livros técnicos e me surpreendi. Eu só os usei na faculdade ou na escola. Alguns levava às vezes para as aulas que dava, mas não são assim tão indispensáveis. Aquilo que eu considerava ser algo culto que eu tinho cá em casa, deixou de ter qualquer efeito para mim. Prefiro muito mais o lado prático da música que o teórico.



Onde me leva isto?
Já vendi um piano, já vendi alguns desses livros. Estou retirando também alguma roupa que tinha de lado para dar. Minha casa não está perdendo identidade, pelo contrário, está me dando espaço para eu ser feliz e procurar uma vida melhor. Continuo limpando a casa com uma regularidade anormal (2 a 3 vezes por semana...sendo que antigamente era só ao fim de semana) pois cada vez é mais rápido aspirá-la e tirar o pó.

Uma das emoções:
Interrogo-me muito ultimamente se eu tiver uma proposta o que levo comigo? O que será indispensável? E sinto um certo conforto por saber que eu sei o que realmente é importante para mim. Por muita história que as coisas tenham, eu procuro vida, presente, futuro, sentimento, pessoas, liberdade, paz, amor... Este processo de desapegar está me deixando uma pessoa mais feliz, numa fase em que isso não seria o esperável (diga-se, sem emprego, sem subsidio ainda, sem valorização...)!

Livros que já vendi ou estou vendendo

Estou curiosa.. Que portas estarei abrindo? :)

You Might Also Like

1 comments

  1. Minha querida, quando estamos abertas a novas possibilidades, com certeza, os caminhos vão se abrindo e logo, logo encontrará ou surgirá um novo emprego. Muitas vezes as mudanças vem e com elas boas supresas, crescimento e felicidades.

    ResponderEliminar