Profissão: a sua paixão ou a sua estabilidade?

3.7.15

Foto realizada a 28 de Junho de 2015 no Canadá


O assunto hoje é crítico, eu sei.

Há um ano atrás encontrava-me a trabalhar na área que sempre trabalhei, que amo e para a qual estudei. Todos os dias de manhã isso não era suficiente para ganhar motivação e trabalhar. Isso era a única justificação para eu aguentar ir trabalhar sem receber o salário durante vários meses seguidos, amontoar dívidas e ficar pedindo ajuda para me sustentar.

Hoje tudo mudou. Estou num emprego que nunca imaginei fazer (primeira vez que não trabalho na área da música), não tive a formação prévia para conhecer a diversidade do conteúdo com que trabalho e ainda, é na sua imensidão completamente diferente do que eu fazia antes. Recebo o salário de 15 em 15 dias, certinho sem falhas e sem desculpas. Acabaram as dívidas, as "faltas" de bens essenciais e primários, os telefonemas de cobranças. Não falta comida nem condições para continuarmos a trabalhar noutras coisas.

Talvez um lado mais sensível da minha parte me tenha feito gostar do meu trabalho, pois inclui organização, gestão e responsabilidade. Eu gosto bastante! É bem diferente de dar aulas ou de ser pianista, trabalhar numa escola e ter reuniões e audições aleatórias. Um emprego "das 9 às 5" permite-me manter meus trabalhinhos na música nas horas extras, minha escrita no blog e minha atenção para a família. O que está em causa não é o dinheiro mas as condições. 

Em Portugal refleti muito sobre estar fazendo o que amava e não me sentir feliz. Chegava a casa desiludida, por vezes derrotada por não ver soluções para orientar a vida. Tudo o que fiz e me dediquei foi com amor, mas chegar a casa e ver os bens básicos falhando me partia o coração. Mentalmente o desgaste ia aumentando.

A gente tem que lutar por aquilo que ama, mas com condições. Hoje não estou no emprego onde sempre me imaginei, mas estou feliz e estou ganhando mais experiência e condições para, quem sabe, no futuro poder me dedicar só àquilo que amo, mas com o cenário certo!

Cada um é como é. Existe quem tenha como prioridade na sua vida a profissão. Não é o meu caso. Começa de novo quantas vezes sejam precisas, luta pelos sonhos mesmo que os caminhos mudem ou pareçam diferentes do que esperava. E conhece o que realmente tem valor para ti.

A felicidade está no agora:
- no olhar (quando consegues ver o futuro promissor)
- no sorriso (quanto consegues te sentir realizado com aquilo que estás fazendo e aquilo que traz de bom)
- e em tudo o que move o teu coração e o teu bem estar!

You Might Also Like

1 comments

  1. Mais uma vez muitos parabens Fatima a ti e a tua familia que esta a crescer, por esta nova etapa da tua vida. Fico muito contente de estres bem e feliz e teres seguido o teu sonho. Ainda me lembro das nossas conversas pelo Facebook.
    beijinho grande de Toronto
    claudiapersi.blogspot.ca

    ResponderEliminar